Vitória do Cruzeiro coloca Atlético na luta contra o Z-4

PUBLICADO EM

O Atlético teve uma atuação pífia na noite de quarta-feira (30), e perdeu para o vice-lanterna Chapecoense no estádio Independência. O resultado cravou o Galo na briga contra o rebaixamento, tendo apenas cinco pontos a mais que o primeiro colocado do Z-4, o Fluminense.

O que parecia ser um campeonato tranquilo para o Atlético, começa a tirar o sono do torcedor alvinegro. Após a vitória do Cruzeiro sobre o Botafogo por 2 a 0, na quinta-feira (31), o Galo vê pelo “retrovisor”o seu maior rival ainda mais próximo, e com uma incrível sequência de sete jogos sem perder no Brasileirão. Como se já não bastasse isso, o time atleticano, além do Botafogo e Fluminense, parece não demonstrar reação nesse final de campeonato e cada vez mais se candidata à possível última vaga do z-4, considerando que as outras serão de CSA, Chapecoense e Avaí.

Com apenas seis minutos de partida, o Atlético levou o primeiro gol de cabeça em uma cobrança de escanteio. Mesmo com Réver, Igor Rabello e Leonardo Silva, todos com mais de 1,95 metros de altura, o atacante Henrique Almeida subiu dentro da área atleticana para marcar.

Durante todo o primeiro tempo, o time alvinegro se mostrou inseguro na troca de passes e ineficiente, também devido às vaias e xingamentos por parte dos torcedores. Réver, atuando como volante, comprometeu a criação de jogadas, fazendo com que o esquema tático também não favorecesse ao Atlético para subir ao ataque.

No segundo tempo, o Atlético conseguiu levar o segundo gol mais rápido que no primeiro. Com quatro minutos apenas, o atacante Everaldo aproveitou o espaço dentro da área e soltou um foguete para as redes.

Com 13 minutos da segunda etapa, em um lance faltoso do lateral Dalberto da Chapecoense em Guga do Atlético, o juiz foi revisar o lance no VAR e marcou pênalti para o Galo. Entretanto, foi desperdiçado pelo atacante Franco Di Santo, que entrou no lugar de Ricardo Oliveira. E este foi o estopim para a torcida abrir cantos de “time sem vergonha” e vaiar praticamente todos os jogadores, em especial ao lateral-esquerdo Fábio Santos e o volante Elias.

O mesmo VAR atuou de novo em um gol irregular marcado por Igor Rabello. O zagueiro empurrou o adversário, conseguiu chegar na disputa aérea, a bola desviou em Otero, e o jogador do Atlético dá um chute forte que coloca a bola na rede. Mas não foi dessa vez que o jogador marca seu primeiro gol com a camisa do Galo.

Risco de rebaixamento

Atlético perde para Chapecoense e entra na luta contra Z-4
Crédito da foto: Bruno Cantini / Atletico

Conquistando apenas oito pontos nos últimos 45 disputados, o Atlético tem a segunda pior campanha do returno no Brasileirão. Juntando com a atuação pífia do time na noite de ontem, o zagueiro (ou volante) Réver não teve muito pudor para falar sobre a situação do Galo. “O alerta já está piscando. Em 15 jogos, duas vitórias? É campanha de quem está pedindo para cair. E as equipes lá de baixo estão pedindo espaço”, disse o capitão atleticano.

Na campanha atual do Atlético, somam-se 11 derrotas nas últimas 15 rodadas disputadas. Com apenas duas vitórias, o Galo marcou 12 gols e sofreu 26. A Chapecoense tem quatro vitórias no campeonato, sendo duas dela fora de casa e ambas no Horto, contra Cruzeiro e Atlético. Antes da derrota de ontem, o time mineiro também perdeu para outro catarinense com números bem baixos na Série A: o Avaí, que não tinha nenhuma vitória em casa até aquele dia.

Torcedores enfurecidos

Com a péssima atuação e o resultado de ontem, a torcida se enfureceu e mostrou desolamento perante a situação atual do time. O Atlético, que briga para não cair de divisão pela segunda vez seguida em sua história, vê seu torcedor distante da alegria nas arquibancadas.

Ainda no primeiro tempo, torcedores gritavam “burro” para o treinador Vagner Mancini, que está a apenas quatro partidas no comando do time. Inclusive, vários protestos ao atual presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, foram feitos.

 

Presença Ilustre

Nas cadeiras do Independência havia um estrangeiro na torcida pelo Atlético no jogo contra a Chapecoense. Trata-se do baterista norte-americano Mike Portnoy, da banda de metal progressivo Dream Theater. O músico era acompanhado do líder da torcida Galo Metal, “Trippa”. Junto deles estavam, Paulo Xisto, baixista do Sepultura; Edu Falaschi, vocalista da banda Almah (ex-Angra), e o ator Daniel Oliveira.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 0 X 2 CHAPECOENSE
Estádio: Independência-Belo Horizonte (MG).
Data-hora: 30 de outubro de 2019, às 19h30.
Arbitragem: Diego Pombo Lopez (BA).
Assistentes: Alessandro Álvaro Rocha de Matos e Elicarlos Franco de Oliveira (BA).
VAR: Paulo Roberto Alves Junior (PR).
Cartões Amarelos: Roberto, Henrique Almeida, Dalberto (CHA), Igor Rabello, Cazares, Otero (ATL).
Cartões Vermelhos: –
Público e renda: 19.058/ R$ 89.042,00.

Gols: Henrique Almeida, aos 5’, 1ºT(0-1), Everaldo, aos 4’-2ºT(0-2).

ATLÉTICO-MG: Cleiton; Guga, Leonardo Silva(Cazares-intervalo), Igor Rabello e Fábio Santos; Réver e Elias(Geuvânio, aos 25’-2ºT); Luan, Nathan e Otero; Ricardo Oliveira(Di Santo, aos 13’-2ºT). Técnico: Vagner Mancini.

CHAPECOENSE: Tiepo; Renato(Eduardo, aos 36’-2ºT), Douglas, Maurício Ramos(Rafael Pereira, aos 29’-2ºT) e Bruno Pacheco; Márcio Araújo e Camilo; Roberto, Dalberto(Elicarlos, aos 20’-2ºT), Henrique Almeida e Everaldo. Técnico: Marquinhos Santos.

destaque

Quatro maneiras de economizar na decoração da casa

A decoração da casa além de deixar o ambiente mais aconchegante, entrega beleza. É muito bom poder acordar e olhar um ambiente...

Conheça Claudinho, a jovem promessa contratada pelo Cruzeiro

Durante uma live do Cruzeiro, o presidente Sérgio Rodrigues anunciou a contratação de Claudinho, que pertencia a Ferroviária-SP. A Raposa pagou R$...

EDITORIAS POPULARES

NOSSAS REDES SOCIAIS

70,343FãsCurtir
28,000SeguidoresSeguir
182SeguidoresSeguir
2,000InscritosInscrever