Sindicato e internautas criticam retorno de aulas na rede estadual

PUBLICADO EM:

EDITORIA:

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG) anunciou que o ano letivo será retomado na próxima segunda-feira (18), com aulas remotas, via internet. Segundo o órgão, o retorno tem como objetivo reduzir os impactos da pandemia do novo coronavírus sem aumentar os riscos de transmissão. Mas, após o anúncio, o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) e diversos internautas se mostraram contrários ao retorno.

O Sind-UTE lançou uma nota no qual se posiciona de forma contrária ao retorno, citando a decisão do Tribunal de Justiça que suspende a convocação dos servidores da educação.

A decisão, assinada pelo Desembargador Bitencourt Marcondes no dia 15 de abril, atende a um pedido do Sindicato Único do Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG), que alega que o retorno às atividades escolares, mesmo sendo feito de forma remota, quebra o isolamento social em uma data próxima a que é estipulada como a de pico do coronavírus em Minas Gerais.

Veja a publicação do Sind-UTE/MG:

Atenção profissionais da educação! Informe urgente do Sind-UTE/MG

Posted by Sind-UTE/MG on Wednesday, May 13, 2020

Reação dos internautas

Chamou a atenção também a chuva de críticas recebidas nas publicações da Secretaria de Educação anunciando o retorno das aulas nas redes sociais. No Twitter e no Facebook muitas pessoas cobraram o pagamento dos funcionários da educação, que ainda não receberam o 13° salário, além da falta de divulgação das datas de pagamento dos valores referentes ao mês de abril. O conteúdo do vídeo e a falta de acesso a internet por parte dos alunos também foi lembrada.

Twitter

A hashtag #ZemaPagueAEducação pôde ser vista em diversos comentários. Além disso, outra crítica recorrente foi ao tom do anúncio do retorno as aulas. Uma usuária do Twitter chegou a escrever: “Boa definição da secretaria: alegoria inflada. Parece que vive num mundo encantado onde a educação é o paraíso, alunos dedicados, empenhados com futuro brilhante; professores supervalorizados, bom salários. Ela precisa acordar desse sonho e vê o pesadelo da realidade da educação”.

Outro comentário da mesma internauta dizia: “Viu como é bom viver num mundo paralelo, receber em dia, trabalhar em sala confortável e todas as tecnologias funcionando? Dá para sonhar muito né secretaria da educação!!! Já a realidade do professor: sem receber o 13°/19;sem salário;sala superlotadas;sem tecnologias funcionando. Alunos desinteressados e sem acesso as tecnologias; desmotivados; desprezados…nossa…que visão tão antagônica da educação de Minas!!! O sonho…e a dura realidade. Governador está em suas mãos inverter isso com urgência: valorize e atualize todos os pagamentos dos professores”.

O conteúdo do vídeo seguiu recebendo críticas. Em uma delas foi escrito: “Esse um dos vídeos mais cínicos desde o início da quarentena. Um verdadeiro desprezo da realidade dos estudantes e professores”. Você pode acessar a publicação e ver o vídeo abaixo:

Facebook

No Facebook os comentários forma divididos entre elogios e críticas ao lançamento do programa de retorno as aulas. Um usuário da rede lembrou dos alunos que não tem acesso à internet: “Muito legal, mas e pra quem não tem acesso a ferramentas digitais??A realidade é que muitos alunos em dias normais mal tem o que comer em casa, imagina como estão em meio a tudo isso. Não tentem se igualar a escolas particulares com aulas EAD, a realidade dos alunos da rede pública é outra”, escreveu.

Outra internauta lembrou dos problemas enfrentados nas matrículas online, no início de 2020: “Mais uma possível lambança? Se a matrícula não funcionou, imagine App é internet”, disse.

Veja também: Aulas da rede estadual voltam na segunda (18), via internet

Comentários

NOTÍCIAS RELACIONADAS

EDITORIAS POPULARES

NOSSAS REDES SOCIAIS

70,245FãsCurtir
28,000SeguidoresSeguir
176SeguidoresSeguir
2,000InscritosInscrever
Comentários