Fundação Renova
Fundação Renova

Se Romero sair, o Cruzeiro precisará urgentemente de novos volantes

Após as saídas de Lucas Silva, Murilo e Raniel, o Cruzeiro pode perder mais um jogador nos próximos dias. E se trata de um dos xodós da torcida, o volante argentino Lucas Romero. O camisa 29 celeste recebeu uma proposta do Independiente-ARG e vem considerando fortemente uma volta à seu país natal. Segundo o próprio atleta, ele deseja ficar mais perto da família e acompanhar de perto a gestação de sua esposa. Portanto, uma eventual permanência é difícil.

As vésperas da decisão das oitavas de final da Libertadores, contra o River Plate, Romero deve ter sua saída anunciada após a partida. O jogo deverá marcar sua despedida do time celeste. A negociação gira em torno de US$ 5 milhões (de dólares), que dá pouco menos de R$ 19 milhões. Do valor total, o Cruzeiro deverá ficar com cerca de R$ 11,3 milhões. O valor é baixo, visto a importância do atleta, mas com a vontade do jogador em sair, fica difícil segurá-lo.

Qualidade

Não levando em conta valores e nem desejos, a saída de Lucas Romero é desastrosa para o Cruzeiro. Apesar de nunca ter chegado ao status de craque intocável, como boa parte dos torcedores o pintava, o camisa 29 é importantíssimo no elenco. Sua dedicação e capacidade técnica, que fazem deste um excelente jogador. Outra qualidade de “El Perro”, como é conhecido, é sua versatilidade. O jogador, além de volante, também joga de lateral direito regularmente e já foi escalado, inclusive, de lateral esquerdo, na final da Copa do Brasil do ano passado. Sem ele, o técnico Mano Menezes perde um importante coringa, para situações adversas.

Reposição para Romero

Mas além do fator técnico ou financeiro, o que torna a saída de Lucas Romero mais catastrófica é a reposição. Deixando clube, Romero se juntará a Lucas Silva e será o segundo volante indo embora em menos de um mês. Sendo assim, isso deixará Mano Menezes com apenas três opções para o setor, levando-se em conta os atletas que começaram o ano. Só o capitão Henrique, o inconstante Ariel Cabral e o limitado Jadson sobrariam para a posição. Para um time que ainda segue vivo em três competições, esse leque de opções é muito limitado.

Há claro os atletas da base, que já vem, e certamente serão ainda mais acionados por Mano Menezes. Ederson já vem jogando alguns jogos com o time reserva, no Brasileirão, e Adriano já treina com o profissional. Mas é muito arriscado deixar a responsabilidade de ser substituto imediato da equipe nas costas de dois jovens que juntos não completam cinco jogos pelo time profissional celeste.

Talvez em um momento mais tranquilo da temporada, seria interessante dar rodagem aos garotos. Mas, com o time flertando com a zona de rebaixamento, a pressão sobre os jovens atletas fica ainda maior. No último sábado, inclusive, o time reserva celeste, com muitos jovens, saiu vaiado de campo após ser derrotado pelo Athletico Paranaense, em casa.

Sendo assim, uma lesão de um dos titulares, ou mesmo de um reserva (Jadson sentiu no último jogo), pode ser perigosíssima para as pretensões celestes na temporada. Um jogador com menos de dez jogos de profissional ter que entrar num jogo de mata-mata de Libertadores é uma pressão que pode ser muito prejudicial. Claro, há os que se destacam e crescem nesse tipo de situação, mas a maioria sucumbe. Portanto, Mano Menezes se vê numa situação difícil com a iminente saída do camisa 29.

Problemas financeiros

Afundado em dívidas e vivendo um momento político complicado, o Cruzeiro não deverá buscar uma reposição no mercado. Tendo que vender atletas para pagar salários, o time celeste terá que fazer milagre para repor a possível perda de Romero. Talvez, a única saída seja mesmo a base. No mais, resta ao torcedor se agarrar na pequena e improvável chance de “El Perro” permanecer.

Comentários