Santuário do Caraça: como visitar e o que fazer

PUBLICADO EM

Localizado nos municípios mineiros de Santa Bárbara e Catas Altas, o Santuário do Caraça – comumente chamado apenas por “Caraça”- é um “centro de espiritualidade e missão, de cultura e educação, de conservação ambiental, lazer e turismo” 

A área do Santuário é uma Reserva Particular do Patrimônio Natural e é simplesmente linda! A imponente Serra do Caraça- que dá nome ao complexo- detém uma beleza muito singular. São várias opções de trilha, cachoeiras e mirantes e o melhor: é aberto ao público!

Um cadim de história

Na segunda metade do século XVIII, um misterioso religioso, Irmão Lourenço, instalou-se na região com o intuito de fortalecer a religiosidade no interior da capitania. Há quem diga que ele era um refugiado político português. Fato é que ele conseguiu reunir em torno de si uma comunidade católica e edificou um monastério e uma igreja em estilo barroco, concluída em 1779. O local virou espaço de peregrinação. 

Após a morte de Irmão Lourenço, a Congregação da Missão assumiu o local e o transformou em colégio, que foi muito reconhecido por sua disciplina e seriedade. A antiga Igreja foi substituída por uma maior, em estilo neogótico. Nela vemos a belíssima tela com o tema da “Última Ceia” do pintor mineiro Mestre Manuel da Costa Ataíde

O colégio funcionou até 1968, quando um incêndio destruiu parte das instalações destinadas aos alunos – dizem que um aluno esqueceu um lampião aceso durante a noite e esta teria sido a causa de tudo.

Em 1990 a área foi transformada em Reserva Particular do Patrimônio Natural e hoje, além de seminaristas em formação, trabalhadores da Igreja e pesquisadores, acolhe também turistas e visitantes em busca das belezas do Caraça.

Santuário do Caraça: como visitar e o que fazer
Tela “A Última Ceia”, na Igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens, Santuário do Caraça – Crédito da foto: Vanessa Barreto/ O Queijo vai na Mala

Estrutura

Igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens, Centro de Visitantes, Alas com quartos para hospedagem, banheiros, lojinha, museu, biblioteca, lanchonete e restaurante que serve café da manhã, almoço e jantar. Mas atenção: o café e o jantar é servido somente para quem se hospeda no Santuário, o almoço é servido de 12 às 14h e é  a única refeição que pode ser adquirida por quem vai só passar o dia por uma questão de horários – quem passa o dia pode ficar no local de 08 às 17h.

Momento de contemplação e reflexão – Crédito da foto: Leonardo Oliveira/ O Queijo vai na Mala

Valores

É assim: você pode ir só passar o dia ou pode também hospedar-se lá. Numa próxima postagem vamos te contar como é se hospedar no Santuário do Caraça. 

Para passar o dia é só pagar a taxa de visitação na portaria de acesso, que funciona de Segunda a Segunda de 08 às 17h, mas a entrada só é permitida até 15h30. A taxa é R$ 12,00 em dias de semana e R$ 18,00 aos finais de semana. Moradores de Catas Altas, Santa Bárbara, Barão de Cocais,  idosos e ciclistas pagam 50% (verificado pela placa do carro). Crianças até 05 anos não pagam.

Para almoçar no restaurante do Santuário é preciso comprar o “vale-almoço” na recepção até as 11h, no valor de R$ 28,00 por pessoa.

O que fazer

Além de contemplar, curtir a tranquilidade e visitar a belíssima Igreja do Santuário, tem muito o que fazer para quem gosta de natureza e caminhadas. São trilhas com os mais variados níveis de exigência física.

Assim que a gente chega recebe um folheto informativo com orientações e regras para permanência na área e um mapinha com os atrativos.

Folheto informativo entregue ao visitante do Santuário do Caraça.

Para trilhas acima de 6 km e para subir aos picos é exigida presença de guia credenciado – no site tem lista dos guias indicados.

O que nós fizemos:

Cascatinha

Trilha de 2 km, em média 30 minutos e bem tranquila. Bem demarcada e sem sobe e desce. O visual na trilha é lindo!

Santuário do Caraça: como visitar e o que fazer
Trilha para a Cascatinha. – Crédito da foto: Leonardo Oliveira/ O Queijo vai na Mala

Cachoeira Cascatiha – Banho gelado! – Crédito da foto: Vanessa Barreto/ O Queijo vai na Mala

Prainha

Um pequeno desvio na trilha para a Cascatinha leva à Prainha – que é ideal para crianças pequenas. A área para banho é rasa e tem muita área em areia mesmo, daí o nome.

Passamos lá na volta da Cascatinha e como já tínhamos tomado banho lá, não animamos outro, mas o local é bem delicinha de ficar.

Santuário do Caraça: como visitar e o que fazer
Prainha – Crédito da foto: Leonardo Oliveira/ O Queijo vai na Mala

Cruzeiro

Um pequeno cruzeiro localizado no topo da montanha é um dos atrativos do Caraça. Para chegar lá fizemos uma trilha de 1,5 km de baixo grau de dificuldade. No trecho final tem mais subidas, mas nada impossível. Para acessar o cruzeiro tem uma escada de madeira que dá num deck, de onde temos esta vista maravilhosa do Santuário.

Considero uma trilha imperdível pela vista!

No mirante (deck) do cruzeiro: uma das vistas mais bonitas do Santuário. – Crédito da foto: Leonardo Oliveira/ O Queijo vai na Mala

Capelinha

A trilha para a Capelinha tem 2 km de extensão e leva em média 30 minutos, mas aqui já temos um caminho mais íngreme – mas é bem demarcado e não é impossível não, para quem tá acostumado ou tem algum preparo físico é bem tranquilo. Devagar todo santo ajuda!

Santuário do Caraça: como visitar e o que fazer
Capelinha – Crédito da foto: Leonardo Oliveira/ O Queijo vai na Mala

Olha só que curioso: a gente tava subindo e cruzamos com um casal descendo. Daí passou-se o seguinte diálogo:

Moço: – Você tá hospedada?

Eu: – Sim.

Moço: – Eu tô com a chave da capelinha e já tô indo embora, quer ficar com ela pra você ver lá dentro? É só depois fechar e deixar na recepção.

Eu: – Uai, quero.

E foi assim que eu ganhei a chave da capelinha na trilha.

(Tudo bem que não desci com ela porque a danada agarrou na fechadura e nunca mais que saiu, fazer o que né). Mas fui lá na recepção e avisei do ocorrido.

Eu como a feliz proprietária da chave da Capelinha – Crédito da foto: Leonardo Oliveira/ O Queijo vai na Mala

Piscina e seus dois mirantes

A Piscina Natural é facinha de chegar, a gente pega uma estradinha de terra e pára com o carro do lado dela. A primeira impressão ao olhar assim é meio esquisita, parece um tanque meio sujo, mas não é não. A água é limpinha e o banho é delicioso!

Santuário do Caraça: como visitar e o que fazer
Piscina Natutal – Crédito da foto: Leonardo Oliveira/ O Queijo vai na Mala

Seguindo depois da Piscina, uma trilha leva ao Mirante 1 e ao Mirante 2. Trilha íngreme, mas em esforço físico é bem ok.

A vista do Mirante 1 é o Tanque Grande, outro atrativo que podemos acessar por uma trilha a pé de 1 km, mas como não tínhamos tempo para tudo não fomos. Lá não é permitido nadar.

Tanque Grande, visto do Mirante 1. – Crédito da foto: Leonardo Oliveira/ O Queijo vai na Mala

Subindo mais a gente chega ao Mirante 2 onde vemos bem de frente a parte da serra que lembra o rosto de um gigante deitado – por isto o nome “Caraça”.

Santuário do Caraça: como visitar e o que fazer
Notem o gigante: à esquerda vemos sua testa, nariz e boca. A depressão seria seu pescoço e na sequencia, o corpo. – Crédito da foto: Leonardo Oliveira/ O Queijo vai na Mala

Alerta de perrengue!

Aqui a gente passou um apertinho. Eu, Vanessa, sou mega medrosa pra trilha não demarcada. Até o Mirante 1 tava tudo ótimo, mas de lá até o Mirante 2 a trilha começou a subir muito, a gente tinha que meio que “escalaminhar” em umas pedras e não havia mais placas indicando por onde seguir. A gente só pensou: “ah, estamos subindo pelas pedras, na volta a gente desce pelas pedras, tudo certo”.

Fato é que na hora de descer a gente simplesmente NÃO ACHAVA O CAMINHO. Olhávamos por todos os lados e só víamos pedras e árvores, nada de um local possível para descer. Tentamos vários caminhos e chegávamos em pirambeiras impossíveis de descer.

Internet não pegava lá, então não dava pra pedir ajuda ou usar o wikiloc. Não contávamos com uma trilha dentro do Santuário mal sinalizada e então nem baixamos o mapa no aplicativo nem nada. Eu só pensava se alguém nos escutaria se a gente gritasse lá do alto.

Mas Leonardo que é muito mais esperto (e calmo) pra estas coisas do que eu foi lá, olhou prum lado, pro outro, fez e refez caminho e achou a danada da saída (que fica bem escondidinha). Eu desci quase que correndo, só queria sair de lá. Minha alegria ao ver Catarina (nosso carro) estacionada ao lado da piscina foi imensa.

Portanto fica aqui o alerta: se você for ao Mirante 2 oriente-se bem pelo caminho porque fica bem confuso na descida.

Mas foi aí mesmo que tivemos este problema, todas as demais trilhas foram fáceis e sem qualquer risco de se perder.

Santuário do Caraça: que lugar!

O Santuário do Caraça é um lugar bem completo e agrada a todos os públicos. Além das atividades na natureza, é possível também fazer caminhadas leves e contemplar os jardins. Dá vontade de voltar muitas outras vezes. Se você ainda não conhece considere fortemente incluí-lo em seu roteiro por Minas Gerais.

Como chegar

De Belo Horizonte-MG para o Caraça (120 km):

BR – 381 sentido Vitória-ES até o trevo para Barão de Cocais – Santa Bárbara – Caraça. Seguir pela MG 436 via Barão de Cocais. Antes da cidade de Santa Bárbara, virar à direita para o Caraça.

Consulte o trajeto partindo de outros destinos no Site do Santuário.

Leia também: Conheça Catas Altas, uma joia da região Entre Serras de Minas

Comentários
EDITORIA:

destaque

Atlético goleia Patrocinense e se classifica para segunda fase do Campeonato Mineiro

O Atlético goleou o Patrocinense por 4 a 0 na noite dessa quarta-feira (29), no estádio Mineirão. Com o resultado, o Galo...

Conheça a maior fazenda da América Latina, do Séc XVIII, em Santa Rita de Jacutinga

  No último post te contamos sobre a cidade mineira de Santa Rita de Jacutinga, conhecida como a “cidade das cachoeiras”. Hoje vamos falar de um...

EDITORIAS POPULARES

Comentários