Renova retorna às obras em Mariana e gera denúncias de aglomerações de trabalhadores

PUBLICADO EM:

Mesmo com Mariana registrando 482 casos de coronavírus, a Fundação Renova retomou as obras civis no município na última segunda-feira (15). E com isso, a redação do Mais Minas recebeu diversas denúncias anônimas de aglomerações dentre os funcionários para exercer os trabalhos e até festas em repúblicas de trabalhadores das empresas terceirizadas da Renova.

As obras que tiveram as atividades retomadas nesta semana são as de  Bento Rodrigues, Paracatu de Baixo e na modalidade do reassentamento familiar, além do Aterro Sanitário, da praça Gomes Freire e Cachoeira de Camargos.

Em resposta à nossa redação, a Fundação Renova confirmou o retorno das obras, mas não sustentou as mesmas informações das denúncias. Segundo ela, as obras retornaram com o número reduzido de trabalhadores e segue medidas de higienização para que seus funcionários possam exercer suas atividades. Entre as medidas de controle e segurança adotadas também estão: aferição diária de temperatura dos colaboradores; alternância de horário nas refeições servidas em marmitex e distanciamento social nas filas, mesas e cadeiras; fácil acesso a álcool gel e a pontos de higienização com sabão; uso obrigatório de máscaras e distância mínima de 1,5 metro entre os trabalhadores; ocupação reduzida nos transportes dos trabalhadores, garantindo mais espaço entre os passageiros.

Apesar disso, ao citarem o número de funcionários por obra em Mariana, é visto uma grande quantidade de pessoas no mesmo local. No reassentamento de Bento Rodrigues foram mobilizados 501 colaboradores para atividades de infraestrutura, contenção de lotes e edificações. Em Paracatu de Baixo são 280 trabalhadores voltados para contenção em terra armada, terraplenagem das vias de acesso e das áreas dos lotes, além de fundações. Na modalidade do reassentamento familiar, são 65 empregados trabalhando na aquisição de imóveis, reforma e construção de casas.

Nas obras do Aterro Sanitário, 61 empregados trabalham em serviços essenciais, como o recebimento e recobrimento do lixo. Já na Praça Gomes Freire, localizada no centro do município, além dos 25 colaboradores já acionados, mais 20 trabalhadores estão em processo de mobilização para as etapas da infraestrutura, rede de drenagem e esgoto, tubulação de elétrica para a retirada do piso do local. E na recuperação da Cachoeira de Camargos, seis trabalhadores realizam a conclusão da remoção do solo mole e transporte de material.

A Fundação Renova reforçou que realizará testagem de 15% do efetivo a cada 20 dias e criará um canal permanente de informações entre Fundação Renova e a Comissão Municipal para Assuntos ligados à Renova (Comar) para comunicar casos de suspeita ou confirmação de Covid-19.

Sobre a fiscalização do município, até o momento dessa publicação, a Secretaria de Saúde de Mariana preferiu não responder os questionamentos da nossa equipe de redação.

Testagens

Mariana tem testado seus servidores e alega ter fiscalizado o comércio. Dentre seus próprios funcionários, na SEDESC, por exemplo, 46 pessoas contaminadas foram confirmadas por meio de teste, sendo que 36 não transmitem mais e dez em isolamento, além de 66 testes negativos. Haverá ainda mais de 40 servidores que ainda realizarão o exame, uma vez que alguns setores informaram com atraso.

Em comparação com outras cidades que também tem a mineração também é possível ver um grande número de casos confirmados, como é o caso de Itabirito, que até a última terça-feira (16), foram confirmados 265 casos.

Comentários

RELACIONADOS

NOSSAS REDES SOCIAIS

70,243FãsCurtir
28,000SeguidoresSeguir
176SeguidoresSeguir
2,000InscritosInscrever
Comentários