Fim da flexibilização: veja quais estabelecimentos poderão funcionar em BH

PUBLICADO EM:

EDITORIA:

Após a cidade de Belo Horizonte bater recorde de mortes pelo Coronavírus, o prefeito Alexandre Kalil anunciou, na última sexta-feira (26), o fim da flexibilização do isolamento social na capital mineira. Sendo assim, a partir de segunda-feira (29), apenas serviços essenciais poderão funcionar em BH.

O processo de flexibilização, que teve início no dia 25 de maio, era dividido em quatro fases, chegando até a segunda na cidade. A recomendação para os estabelecimentos que voltariam a abrir era de que tomassem às devidas providências, evitando aglomerações, disponibilizando álcool em gel e proibindo a entrada nos locais sem máscara.

Entretanto, com o recorde de mortes e a taxa de ocupação dos leitos de UTI na cidade aumentando consideravelmente, a solução, decidida por Kalil, foi frear a abertura das atividades comerciais. De acordo com ele, o momento é de “guerra” e é preciso que a população cumpra o isolamento social. Além disso, ele pediu que os belo-horizontinos denunciem qualquer caso de descumprimento do isolamento, via aplicativo ou procurando a Ouvidoria.

“Não estamos de férias. Fiquem em casa. Se houver churrasco num condomínio, denuncie, chame a polícia. Humildemente peço à população de BH: vamos respeitar a ciência”, afirmou. Assim, a cidade de Belo Horizonte retoma as fases da flexibilização e adota a abertura de apenas serviços essenciais.

Leia também: Prefeitura de Itabirito volta atrás na flexibilização e fecha bares e academias

Veja a lista dos locais considerados como “serviços essenciais” na cidade, a partir de segunda-feira (29)

  • Padaria (de 5h às 21h)
  • Comércio varejista de laticínios e frios (de 7h às 21h)
  • Açougue e Peixaria (de 7h às 21h)
  • Hortifrutigranjeiros (de 7h às 21h)
  • Minimercados, mercearias e armazéns (de 7h às 21h)
  • Supermercados e hipermercados (de 7h às 21h)
  • Artigos farmacêuticos (sem restrição de horário)
  • Artigos farmacêuticos, com manipulação de fórmula (sem restrição de horário)
  • Comércio varejista de artigos de óptica (sem restrição de horário)
  • Artigos médicos e ortopédicos (sem restrição de horário)
  • Tintas, solventes e materiais para pintura (de 7h às 21h)
  • Material elétrico e hidráulico, vidros e ferragem (de 7h às 21h)
  • Madeireira (de 7h às 21h)
  • Material de construção em geral (de 7h às 21h)
  • Combustíveis para veículos automotores (sem restrição de horário)
  • Comércio varejista de gás liquefeito de petróleo – GLP (sem restrição de horário)
  • Comércio atacadista da cadeia de atividades do comércio varejista listado nesta relação (5h às 17h)
  • Agências bancárias: instituições de crédito, seguro, capitalização, comércio e administração de valores imobiliários (sem restrição de horário)
  • Casas lotéricas (sem restrição de horário)
  • Agência de correio e telégrafo (sem restrição de horário)
  • Comércio de medicamentos para animais (sem restrição de horário)
  • Atividades de serviços e serviços de uso coletivo, exceto os especificados no art. 2º do Decreto nº 17.328, de 8 de abril de 2020 (sem restrição de horário)
  • Atividades industriais (sem restrição de horário)
  • Restaurantes, desde que em sistema de delivery ou retirada na porta (sem restrição de horário)
  • Banca de jornais e revistas (sem restrição de horário)

Comentários

NOTÍCIAS RELACIONADAS

EDITORIAS POPULARES

NOSSAS REDES SOCIAIS

70,275FãsCurtir
28,000SeguidoresSeguir
178SeguidoresSeguir
2,000InscritosInscrever
Comentários