Fundação Renova
Fundação Renova

Protestos e homenagens lembram a tragédia de Brumadinho

Com oito meses da tragédia na cidade de Brumadinho, todo dia 25 é a cidade é marcadas por protestos. E nessa quarta-feira não foi diferente. Faixas foram colocadas na região central da cidade com os escritos: “dói demais o jeito que vocês foram embora”, “não podemos esquecer as 272 vidas que foram ceifadas”, e “lucro acima de tudo, lucro acima de todos”.

O dia foi marcado por música, abraços, choros, balões brancos e todos os elementos póstumos pertinentes para homenagear as vítimas da tragédia. Além dos moradores de Brumadinho também terem mostrado sua indignação com a falta de punição por parte das autoridades.

Além disso, o protesto lembrou das 21 pessoas que ainda não foram encontradas. Foram 249 corpos identificados, com duas mulheres que estavam grávidas, entretanto, não são contabilizados os bebês. E, apesar da Polícia Militar e Federal estarem trabalhando nos inquéritos criminais sobre a avalanche de lama, ninguém ainda foi devidamente responsabilizado e preso.

Entretanto, na última semana, a Polícia Federal indicou sete funcionários da mineradora Vale e seis membros da empresa consultora TÜV SÜD, por falsidade ideológica e uso de documentos falsos envolvendo a tragédia de Brumadinho.

Em nota, a Vale diz que reafirma seu compromisso total com a reparação e mantém interlocução com representantes das comunidades e demais órgãos competentes, visando soluções céleres e adequadas às necessidades dos atingidos”.

Em 25 de janeiro deste ano, a barragem I da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, se rompeu, causando uma tragédia que, há oito meses depois, mantém 21 pessoas desaparecidas e um número total de 249 mortos identificados.

Comentários