Fundação Renova
Fundação Renova

Obras de preparação da Cava Alegria Sul da Samarco atingem 80% de conclusão da primeira fase

A utilização da Cava Alegria Sul foi proposta pela Samarco após o rompimento da barragem de Fundão (2015). A estrutura possui um sistema de contenção de rejeitos mais seguro e com menos impactos ambientais.

As obras tiveram início em outubro de 2018 e foi dividida em duas etapas. A primeira está 80% concluída, com o fim previsto para maio.

A segunda fase consiste na montagem eletromecânica do sistema de bombeamento. A sua conclusão final está calculada para setembro de 2019.

A obra é o primeiro passo para a retomada das atividades da mineradora e conta com força de trabalho local. A Cava se diferencia do tipo a montante por se tratar de uma estrutura que já existia no solo, proveniente da extração de minério.

Além disso, ela se encontra em um espaço confinado que permite a contenção de rejeitos de forma natural e segura. Segundo informações da assessoria da Samarco, serão utilizadas novas tecnologias na estrutura.

A retomada inclui um sistema de filtragem dos rejeitos, que permitirá o processamento da parte arenosa, que representa 80% do volume total de rejeito gerado. Com isso, o rejeito arenoso será disposto em pilhas. Já o adensamento da lama, que corresponde a 20% do volume total de rejeitos, reduzirá a quantidade de água presente neste material”.

Além de aumentar a segurança e diminuir os efeitos no meio ambiente, a nova tecnologia vai ser importante para aumentar o tempo útil de vida da Cava Alegria Sul. Com esse tipo de filtragem a durabilidade da estrutura passa de 20 meses, para sete anos.

A empresa já estuda novas alternativas para depois do esgotamento da Cava Alegria Sul.

Só a Cava Alegria Sul garante o retorno da Samarco?

Desde 2016, a Samarco estuda alternativas para retomar suas atividades. Mas para isso, ela precisa estar de acordo com alguns órgãos reguladores.

Para iniciar a preparação da Cava, primeiro a empresa precisou da autorização da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (SEMAD).

As licenças prévia (LP) e de instalação (LI), que permitem a preparação do local, foram concedidas pela Semad em dezembro de 2017. Mas além da conclusão da obra, a Samarco ainda precisa do Licenciamento Operacional Corretivo (LOC) do Complexo de Germano, localizado em Mariana e Ouro Preto (MG), para voltar a produzir.

Resquícios de uma tragédia  

A história da Samarco vai ficar manchada para sempre pelo rompimento da barragem de Fundão. A tragédia matou 19 pessoas e cobriu de lama o distrito de Bento Rodrigues (MG).

Sem mencionar os impactos ambientais, os rejeitos atingiram os afluentes e o próprio Rio Doce. Que era fonte de renda e sobrevivência de milhares de moradores da região, que com a tragédia, ficaram sem água e sem trabalho. Esse foi o maior desastre ambiental do Brasil.

Porém, o que ficou para a Samarco foram as lições para que uma nova tragédia não volte a ocorrer. Por isso, a empresa reforçou suas estruturas geotécnicas em atendimento às normas brasileiras e aos requisitos internacionais de segurança.

Com todo o aprendizado adquirido, a Samarco incorporou novas práticas baseadas em avançadas técnicas de monitoramento e tecnologia. Atualmente, o monitoramento das estruturas geotécnicas extrapola as exigências legais”. Informou a assessoria da mineradora.

Para aumentar a segurança a empresa ainda conta com um Centro de Monitoramento e Inspeção (CMI), em operação 24 horas por dia, sete dias por semana.

Além desse Centro, as barragens são monitoradas e acompanhadas por uma auditoria independente. Relatórios sobre as condições dessas estruturas, que segundo a empresa, estão estáveis, são remetidos periodicamente aos órgãos competentes.

Como no rompimento da barragem de Fundão a sirene de segurança não tocou, a Samarco tomou providências quanto ao fato. Foram instaladas sirenes nas áreas das barragens e entre os municípios de Mariana e Barra Longa.

Para preparar a população, são aplicados exercícios de simulação, que buscam instruir os moradores e garantir uma evacuação efetiva em situações de emergência.

Comentários
Carregando...