Fundação Renova
Fundação Renova

O que você pensa sobre a utilização do forno micro-ondas?

As consequências da utilização diária do forno micro-ondas são motivo de dúvida e preocupação para grande parcela das pessoas que se dispõem à prática de uma alimentação saudável.

O forno micro-ondas foi inventado pelo cientista chamado Percy Spencer, sendo que seu funcionamento é baseado na emissão de ondas eletromagnéticas de alta frequência, como as de rádio.

O principal questionamento relacionado à utilização do forno micro- ondas consiste na possível associação desse método de cocção com o desenvolvimento de câncer. Pois bem; as micro-ondas eletromagnéticas fazem com que as moléculas de água presentes no alimento vibrem e assim gerem calor, que rapidamente se estende às moléculas próximas fazendo com que a comida seja aquecida.

A radiação apenas cozinha e aquece os alimentos, não possuindo a capacidade de alterar a sua estrutura química e molecular, dessa forma, não se pode dizer que há qualquer relação com o câncer. O forno micro-ondas realmente emite uma forma de radiação não ionizante classificada como possivelmente cancerígena para seres humanos, porém a estrutura do forno está preparada para que a radiação não extravase para o ambiente externo; por isso é importante seguir as instruções de utilização dos aparelhos, pois caso estes estejam danificados há um risco de vazamento de radiação.

Outra dúvida diz respeito à perda de nutrientes dos alimentos; no entanto, a perda de vitaminas e outros nutrientes de um alimento ocorre devido ao processo de aquecimento, seja este por meio de forno convencional, no micro-ondas ou até mesmo no fogão.

Além disso, a perda de nutrientes durante a fervura é maior do que em outras técnicas, como a de  micro-ondas, a fritura ou o vapor, desse modo, a melhor maneira de reter as vitaminas e os nutrientes dos alimentos ao cozinhá-los é usar tempos curtos, que limitem a exposição ao calor, bem como um método de cocção em que se use menos líquido, sendo assim, cozinhar com micro-ondas pode ser uma alternativa para ajudar a preservar a vitaminas e outros nutrientes.

Mas não podemos deixar de ressaltar que quando se deseja a opção mais saudável possível, o melhor método para manter o valor nutritivo dos alimentos é sem dúvidas o vapor, visto que nesse não há nenhum contato com água ou gordura.

É importante salientar que muito mais do que com o método de cocção deve-se preocupar com o material em que se acondiciona os alimentos, visto que o aquecimento de recipientes plásticos pode liberar substâncias com potencial de causar câncer.

 O recomendável é nunca aquecer alimentos em recipientes plásticos uma vez que não há como ter segurança quanto a presença ou não de substâncias nocivas nos recipientes utilizados. O ideal é que se transfira a comida para vasilhas de vidro temperado ou de porcelana resistentes ao calor. Além de se evitar, também, as bandejas de espuma tais como aquelas em que são comercializados alimentos congelados, por exemplo; bem como o filme plástico utilizado para proteger e cobrir alimentos, pois o vapor condensado pode respingar substâncias perigosas no alimento.

Muito mais do que classificar os métodos de cocção como bons ou ruins é importante que se tenha cuidados para evitar danos à saúde. Nenhum método é perfeito, mas deve-se assegurar que a opção escolhida esteja sendo utilizada da forma mais segura possível. Somos os principais responsáveis por nossas escolhas e condutas, bem como pelas consequências delas, e isso inclui seguir recomendações e pareceres técnicos e evitar propagar o senso comum muitas vezes equivocados ou frutos das famosas “fake news”.

Comentários