O que fazer em São João Del Rei: roteiro de um dia

PUBLICADO EM:

Localizada no campo das vertentes, São João Del Rei é uma das maiores cidades históricas mineiras e é também uma das que mais se desenvolveu economicamente. Hoje ela é pólo para muitas cidades do Sul e Sudeste mineiro, contando inclusive com Instituições Federais de ensino superior. Não espere, portanto, ver em São João aquele ar bucólico das pequenas cidades e vilas mineiras porque não é bem assim.

Estivemos em São João Del Rei quando deixamos Tiradentes (onde nos hospedamos) a caminho de BH, então ficamos umas 4-5 horas na cidade e deu pra ver um bocado de coisa. Eu diria que para curtir os pontos de visitação com mais calma valeria a pena ter tirado um dia todo só para a cidade.

Vamos contar neste post o roteiro que fizemos, passo a passo.

Retorno ao passado

Fundada em 1704 por bandeirantes paulistas, São João inicialmente foi chamada de Arraial Novo do Rio das Mortes (Tiradentes era o “Arraial Velho”.) Foi alçada a vila em 1713, quando foi rebatizada por São João Del Rei em homenagem ao Rei de Portugal, e transformada em cidade em 1838. Desenvolveu-se basicamente em torno da atividade mineradora, agricultura e pecuária.

Justamente por esta história podemos ver hoje na cidade importantes  exemplares arquitetônicos do período colonial, tanto nas Igrejas como no casario histórico, a maioria bem preservado.

Roteiro a pé

Se estiver de carro, estacione perto da Estação Ferroviária e comece por lá o seu passeio. Dentro da Estação Ferroviária está o Museu Ferroviário. Eu queria muito visitá-lo e fiquei encantada, conto mais dele neste post.

Saindo do Museu Ferroviário a gente pode seguir a pé pela Avenida Principal até a Ponte da Cadeia, um dos cartões postais mais famosos da cidade. Veja logo na esquina a  Antiga Casa de Câmara, hoje prédio da Prefeitura Municipal. Atravessando a Ponte da Cadeia a gente encontra a maior parte das Igrejas da cidade e outros pontos de interesse. Não deixe de ver também:

Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Erguida na fase áurea do rococó, a igreja traz inovações do estilo: a porta ricamente decorada por elementos escultóricos e as torres octogonais ligeiramente recuadas do plano da fachada. Em seu interior é menos “dourada” do que outras Igrejas coloniais mineiras.

Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar

Com fachada neoclássica e interior barroco, é uma das igrejas mais ornamentadas de Minas Gerais. Foi erguida em 1721, após destruição da antiga capela que ficava no local. Eu a considero simplesmente uma das mais belas Igrejas mineiras! ?

Pagamos R$ 5,00 para visitar em julho/2019. (Meia entrada para idosos e crianças).

Igreja Nossa Senhora do Rosário

É considerada a mais antiga da cidade, com obras iniciadas em 1719, pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos. Estava fechada quando lá estivemos, mas parece que seu interior é bem simples.

Solar dos Neves

Foi a residência do presidente Tancredo de Almeida Neves Neves entre os anos de 1957 e 1985 e está até hoje em poder da família, que eventualmente se hospeda nele quando na cidade.

Bem próximo está também o Museu de Arte Sacra, que não chegamos a visitar. (Se tivéssemos passado 01 dia inteiro na cidade, teria dado tempo de conhecer).

Na mesma região está também a Igreja das Mercês, que fica num dos pontos mais elevados da cidade. Como não tínhamos tanto tempo, não fomos até ela.

Atravessamos de volta para o “outro lado” do Centro Histórico, cruzando mais uma vez o Córrego Lenheiros. E fomos direto visitar a…

Igreja de São Francisco de Assis

Um dos mais belos templos coloniais de Minas Gerais, a Igreja de São Francisco de Assis teve a construção iniciada em 1774, e, a autoria do projeto é um dúvida, que envolve dois grandes artistas da época: Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e Francisco de Lima Cerqueira.

É sem dúvida um dos mais famosos cartões postais da cidade, forte representante do Estilo Rococó em Minas Gerais.

Taxa de visitação a R$ 4,00. (Julho/2019).

Tomando novamente o rumo da Avenida principal para voltar ao ponto de partida, passamos pelo Teatro Municipal e Museu da FEB – Força Expedicionária Brasileira. Visitamos o Museu e demos mais detalhes neste post.

Onde comer

Como contei lá no início do post, visitamos São João quando estávamos partindo de Tiradentes voltando para Belo Horizonte, então só almoçamos por lá. Na Estação Ferroviária pedi indicação de algum lugar para almoçar por ali e uma funcionária indicou o Restaurante Chafariz, na rua ao lado da Estação.

Self Service bem variado e gostoso por R$ 49,90 kg ou R$ 35,00 para comer à vontade.

Onde se hospedar

Nós nunca nos hospedamos na cidade, então não temos indicações a dar, mas eu diria que uma boa é ficar perto dos principais pontos históricos, especialmente para quem está sem carro.

Outra opção é se hospedar na vizinha Tiradentes, já que apenas 16 kms separam as duas cidades.

No próximo post vamos te contar mais sobre a cidade de Tiradentes. O ideal é conjugar a visita às duas cidades na mesma viagem, considerando a proximidade entre elas.

Você já visitou São João Del Rei? Conte pra gente nos comentários!!!

Galeria de fotos

Leia também: A prática japonesa do Banho de Floresta

Comentários

NOTÍCIAS RELACIONADAS

EDITORIAS POPULARES

NOSSAS REDES SOCIAIS

70,253FãsCurtir
28,000SeguidoresSeguir
177SeguidoresSeguir
2,000InscritosInscrever
Comentários