O Garoto de Liverpool: conheça o início dos Beatles

PUBLICADO EM:

Com quatro indicações ao Oscar do cinema britânico, o filme “O Garoto de Liverpool” explora a história não contada do adolescente John Lennon e o início dos Beatles. O longa traz sua trajetória, desde a solidão e conflitos internos, até o início da sua amizade com Paul McCartney e George Harrison, que mais tarde se tornariam membros da banda que mais vendeu na história da música, os Beatles.

O filme lançado em 2010, com a direção de SamTaylor-Johnson, teve sua estreia mundial em 29 de outubro de 2009, na noite de encerramento do Festival de Cinema de Londres, e é baseado no livro Imagine This: Growing Up With My Brother John Lennon. O enredo traz a biografia da adolescência de John Winston Lennon (1940-1980), entre seus 15 e 20 anos, trazendo a época em que o rock n’ roll começou a fazer parte da sua vida e influenciou o surgindo da banda The Beatles.

Filmes biográficos de pessoas famosas pretendem trazer a curiosidade do público, seja pela história de sua trajetória, de suas conquistas ou mesmo da sua morte. O Garoto de Liverpool, filme biográfico, atrai a curiosidade do público. Seja pela curiosidade em saber a história de vida da estrela ou para saber em que ponto, o singelo e literalmente garoto de Liverpool, se tornou um Beatle.

O longa traz elementos típicos da adolescência: a rebeldia frente a imposições dos adultos, as influências pessoais e profissionais da época, questões sexuais, e o maior foco: o sonho de se tornar um grande astro, inspirado em Elvis Presley. Apesar do telespectador já saber que, depois de toda a linha do tempo do garoto apresentado durante o filme, o sucesso virá, é emocionante seguir e conhecer os passos de um dos integrantes da maior banda de todos os tempos. Além de conhecer as influências e motivos para o início desta.

Leia também: Dia 05 de novembro em BH: Alceu Valença e Beatles – Orquestra Ouro Preto

Apesar do título se referir, única e exclusivamente, a vida de John Lennon, o filme retrata a trajetória para a formação dos Beatles de uma maneira muito sensível e particular. O primeiro encontro com Paul McCartney, o início da amizade dos dois, os shows iniciais da carreira e a apresentação de George Harrison fazem parte do início da formação do “quarteto fabuloso”.

O Garoto de Liverpool: conheça o início dos Beatles
Ringo Starr, Paul McCartney, George Harrison, John Lennon, 1963 – Crédito da foto: Shutterstock

O Garoto de Liverpool (2010)

Abandonado pela mãe com apenas cinco anos, John Lennon é criado pelos tios. Entretanto, após a morte do tio George, ele é obrigado a viver com sua tia Mimi, na cidade de Liverpool, em um momento pós-guerra. Apesar de Lennon saber que sua mãe está viva, ele não busca entrar em contato com ela. Entretanto, quando surge uma oportunidade de encontrá-la, ele não descarta.

A partir do encontro com sua mãe Julia, John conhece um universo totalmente diferente do que era vivido dentro da casa dos seus tios. É apresentado ao garoto um universo regado a rock’n’roll e muita sensualidade. Ali ele descobre o refúgio para expor seus dilemas e extravasar seus conflitos e energias. A partir de então, surge a vontade de montar sua própria banda.

É aí que o amigo Paul McCartney entra em cena, apresentando uma sintonia entre os Beatles. Sem saber que seriam, anos mais tarde, uma banda de grande sucesso, John e Paul decidem criar sua primeira banda. Apesar de possuírem personalidades muito diferentes, Paul com seu sentimentalismo e Lennon com sua rebeldia melancólica, um era capaz de completar o outro e em suas canções. E como não poderia ser diferente, as canções interpretadas por eles eram intercaladas por frases um do outro.

Thomas Brodie-Sangster (McCartney) e Aaron Taylor-Johnson (Lennon) – Crédito da foto: Divulgação

Assim começa a carreira musical da dupla, que pouco tempo depois se encontra com George Harrison, o “terceiro Beatle”. Paul foi responsável por apresentar George à Lennon. Passando então por diversos momentos da vida do trio, de maneiras superficiais e outras mais profundas, o filme pretende mostrar aos fãs como o quarteto chegou até o ano de 1960, onde o sucesso começou definitivamente.

Apesar da produção tentar ser fiel a história real, alguns aspectos chegaram a ser comentados por McCartney de forma que, o real é apresentado como ficcional. A revista Veja comentou alguns desses pontos caracterizando a veracidade dos fatos.

As mentiras e as verdades apresentadas pelo filme

A família

O drama familiar em que John Lennon é envolvido se passa por todo o filme. Desde a separação dos pais, o abandono familiar, até a rotina vivenciada na casa dos tios, com sua tia Mimi totalmente autoritária, que sempre apresentava embates com Júlia, mãe biológica de Lennon. Entretanto, o drama familiar é exagerado. Os embates entre Júlia e Mimi nunca tomarão proporções tão grandes, além de que, a mãe biológica nunca foi tão ausente como foi apresentado durante o longa.

John vs Paul

O encontro entre John e Paul acontece aos 15 e 17 anos, respectivamente, e traz uma grande história de amizade e companheirismo dos Beatles. Como bons irmãos de consideração, diversas discussões são retratadas durante o filme, cenas com rivalidade e ciúme são comuns durante o longa, o que não foge da realidade. Entretanto, em uma das cenas mais dramáticas da produção é que o roteiro trabalha com a mentira. Lennon dá um soco em McCartney durante uma de suas discussões, e produz uma cena muito dramática e polêmica. Entretanto, o soco produzido não é fiel a realidade. Após o lançamento do filme, McCartney chegou a comentar sobre a cena: “John nunca me deu um soco, mas meu personagem é bem legal no filme, então não ligo muito de ter sido socado”.

A aparência

John Lennon nunca teve olhos azuis. Os olhos do cantor eram castanhos, levemente esverdeados, entretanto, o ator Aaron Taylor-Johnson tem os olhos completamente azuis, saindo assim, da fidelidade do personagem. Outra questão, apresentada por McCartney em entrevista, foi o tamanho do personagem que o interpreta. Segundo ele, ambos tinham a mesma altura na época.

Tia Mimi

Tia Mimi é apresentada durante todo o longa como uma tia autoritária e severa, de uma forma amorosa. O que não era mentira ou exagero. Mimi sempre foi uma mulher autoritária, de uma forma que ela só queria o bem de John. Os dois, tanto no filme, quanto na vida real, apresentavam uma relação de carinho muito grande, mesmo com toda a rigidez e desentendimentos.

Garoto rebelde

O filme retrata elementos típicos da adolescência. Um deles é a rebeldia jovem. Entretanto, a rebeldia não era uma forma de deixar o filme mais interessante ou mais coerente com o tema. John Lennon era realmente difícil de lidar e possuía um gênio muito forte na vida real. Apesar da cena do soco ter sido irreal, em um dos momentos do longa, Lennon destroça uma tábua de lavar roupa na cabeça de um amigo, seguindo a veracidade dos fatos.

Elvis: a inspiração

A febre da época era Elvis Presley. Toda a inspiração para a primeira banda, para o estilo e para as roupas foram influenciadas pelo cantor. Antes do “cabelo tigelinha”, marca registrada do quarteto, todos eles adotaram a moda do topete, moda essa, referente a estrela da época. Além disso, em uma das cenas, Lennon reclama com a mãe: “Por que Deus não me fez Elvis Presley?”, e ela responde: “Pois ele estava te preparando para ser John Lennon”. E realmente foi, John Lennon, tanto quanto Elvis, um dos grandes nomes da música. A inspiração “Elvis Presley” traz a veracidade da história dos estilos dos Beatles e das influências da época.

Veja o trailer do filme

O filme está disponível na Netflix.

Comentários

NOTÍCIAS RELACIONADAS

EDITORIAS POPULARES

NOSSAS REDES SOCIAIS

70,242FãsCurtir
28,000SeguidoresSeguir
176SeguidoresSeguir
2,000InscritosInscrever
Comentários