Homens que se passavam por policiais civis são presos em Ubá-MG

PUBLICADO EM:

EDITORIA:

UBÁ-MG – Na última quinta-feira (14), a Polícia Civil de Minas Gerais prendeu, em Ubá, dois homens, de 26 e 29 anos, em virtude de mandado de prisão preventiva e por flagrante de tráfico ilícito de drogas. De acordo com informações do Delegado Regional de Ubá, Diêgo Candian Alves, “ambos os presos também são suspeitos de extorquir drogas, dinheiro e joias de traficantes em bocas de fumo se identificando como policiais civis de Ubá. Inclusive, tendo utilizado, para isso, um veículo apreendido, simulando ser uma viatura policial descaracterizada”.

Policiais civis das Delegacias Antidrogas e Delegacia de Homicídios de Ubá cumpriram o mandado em desfavor do homem mais velho, após investigações relacionadas ao homicídio que vitimou Carlos Augusto Ferreira, no dia 29 de setembro, no Bairro Waldemar de Castro. Na ocasião, a vítima foi morta com quatro disparos de pistola calibre .7,65.

Durante a ação, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão no Bairro Waldemar de Castro (Beco do Sapo), em um apartamento localizado no Bairro Antonina Coelho e em um sítio na Zona Rural de Macuco, em Dores do Turvo. Nos locais das buscas, foram encontrados 87 pinos de cocaína; 408 pedras de crack; 46 buchas de maconha; nove frascos de lança perfume, uma pistola Taurus .40 – com carregador-, 14 munições .40; um revólver calibre .38 e cinco munições do mesmo calibre; um simulacro de pistola Taurus 840 e três capas de coletes balísticos.

Leia também: Homem é esfaqueado por ex-cunhado em Uberlândia

Além disso, foram apreendidos dois rádios HT; diversas roupas e equipamentos táticos, camisas e distintivos de detetive particular, algemas, coldre e toucas ninja; a quantia de R$ 6.400; um veículo Ecosport, que teria sido utilizado no crime de homicídio; três documentos funcionais de identificação de detetive particular e de agente de inteligência e outros objetos, tais como celulares, plástico, balança digital e documentos pertinentes à investigação.

Ainda segundo a autoridade policial, “no Bairro Waldemar de Castro, existia uma verdadeira estrutura montada para o tráfico de drogas, que contava com portas e janelas reforçadas para impedir a ação policial, escotilhas para a entrega de drogas, biombo para ocultar o tráfico de drogas e fundo falso em portas”.

Os suspeitos foram encaminhados ao sistema prisional e se encontram à disposição da Justiça.

Comentários

NOTÍCIAS RELACIONADAS

EDITORIAS POPULARES

NOSSAS REDES SOCIAIS

70,287FãsCurtir
28,000SeguidoresSeguir
180SeguidoresSeguir
2,000InscritosInscrever
Comentários