Fundação Renova
Fundação Renova

Homem ameaça funcionários e chama cozinheiro de “macaco” em restaurante

A Polícia Militar deu voz de prisão a um homem na tarde da última sexta-feira (27), após ele ter ameaçado funcionários de um restaurante que fica na região central de Belo Horizonte (MG), e, ter chamado um cozinheiro de “macaco”.

Segundo ocorrência policial, aproximadamente às 14h o suspeito de ter cometido injúria racial tentou entrar no restaurante sem camisa para pedir comida, os funcionários disseram que iriam dar a ele uma refeição, mas que ele não poderia permanecer no local sem camisa. Neste momento então começou uma discurso entre ele e os funcionários do estabelecimento.

Em determinado ponto da confusão o homem começou a ameaçar alguns funcionários, em seguida chamou um cozinheiro de “macaco”. O homem saiu do restaurante e os funcionários acionaram a polícia, que o encontraram próximo ao local. O restaurante fica na rua Tupis.

No momento da abordagem da polícia o homem tentou resistir, porém foi contido pelos agentes. Já dentro da viatura, ele cuspiu o próprio sangue no rosto de um policial. Segundo a polícia, ele teria mordido a boca e usado o sangue proveniente da ferida para cuspir no policial. Uma parte do veículo ficou danificada devido aos golpes que o homem deu, na parte chamada de “xadrez”.

O homem estava se beneficiando da saída temporária de Natal. “Ele é um presidiário e ele estava no induto de Natal”, disse o sargento Marcelo Fernandes. Ainda de acordo com a polícia, o suspeito responde pelo crime de tráfego e associação ao tráfico, roubo, furto e consumo de drogas. “Ele está sendo qualificado pelo crime de injúria racial, ameaça, desobediência, resistência e também o crime de colocar em risco a segurança da saúde dos militares com as cusparadas”, finaliza o sargento.

Além do cozinheiro que registrou um boletim de ocorrência, dois funcionários prestaram queixa junto a polícia por ameaça.

Os policiais precisaram ser atendidos às pressas no Hospital Militar. Por indicação mpedica eles precisaram tomar os medicamentos que impedem a contração do HIV, vírus causados da Aids. A Profilaxia Pós-Exposição de Risco, popularmente conhecido como PEP, deve ser administrada o mais precocemente o possível em pessoas que estão em risco de contrair o vírus, o ideal é que a pessoa em risco faça o uso nas primeiras 2 horas após a exposição, tendo como limite 72 horas.

A diferença entre racismo e injúria racial

Racismo – O racismo é a ação de discriminar todo um grupo social, por causa de sua raça, etnia, cor, religião ou origem.

Injúria Racial –
É considerada injúria racial a ofensa feita a uma determinada pessoa com referência à sua raça, etnia, cor, religião ou origem.

Conclusão: a diferença entre os crimes é que o racismo é a ofensa que se refere a um determinado grupo de pessoas, já a injúria racial acontece quando alguém ofende especificamente uma pessoa por causa da sua etnia, cor, religião ou origem.

Comentários
Carregando...