Funerária traz comunicado sobre investigações de mortes por problemas respiratórios, em Belo Horizonte

PUBLICADO EM:

EDITORIA:

No último domingo (24), a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) registrou um Boletim de Ocorrência em que uma funerária de Belo Horizonte teria recebido 73 cadáveres entre a última sexta-feira (20) e domingo, indicando que os laudos das mortes mostram que pelo o menos 23 corpos tiveram óbitos relacionados à problemas respiratórios graves, que são sintomas do novo coronavírus.

Com isso, a funerária trouxe um comunicado à imprensa dizendo que “todos os atendimentos estão dentro da normalidade”, e que o aumento de atendimento nos últimos dias está “dentro da regularidade para essa época do ano”.

E ainda, a funerária disse que segue as recomendações das autoridades de vigilância sanitária. “Quando há o caso específico de risco biológico para doença infecto-contagiosa como a Covid-19, a recomendação das autoridades de vigilância sanitária é de não se fazer a tanatopraxia, ou seja, o corpo deve ser levado ao laboratório, onde é colocado na urna. A mesma deve ser lacrada e enviada diretamente para sepultamento”, afirmou a empresa.

E ainda salientou que “nesses casos, o hospital deve comunicar imediatamente a funerária no momento da remoção, o que, conforme já comunicado acima, não ocorreu até o momento presente”, afirmou em comunicado.

É importante salientar que ainda não há confirmação de óbitos por coronavírus em Minas Gerais. São 130 casos confirmados e 11.832 estão em investigação no estado.

Investigação

No boletim feito pela Polícia Civil, está escrito sobre a “chegada de dezenas de corpos” em uma funerária do Bairro Nova Gameleira, Região Oeste de Belo Horizonte, em pouco tempo. De acordo com os relatos de pessoas ouvidas pela Polícia Militar, os mortos teriam diagnóstico de problemas respiratórios, o que se assemelha aos sintomas do coronavírus, porém a PM ressaltou que pelo o menos uma das informações relatadas no BO não é verdadeira.

No Boletim de Ocorrência, a polícia recebeu uma denúncia anônima de que a funerária havia recebido 41 corpos em 48 horas e que havia aglomeração de pessoas no local. Entretanto, o gerente da funerária disse que esse seria um fato atípico em 30 anos de carreira.

O Boletim de ocorrência foi registrado no último domingo (22), por volta das 22h, e no histórico é mostrado que, durante o patrulhamento, militares receberam uma denúncia anônima sobre a chegada de dezenas de corpos a uma funerária do bairro nas 48 horas anteriores, e que muitos apresentavam sintomas semelhantes ao do coronavírus. E ainda, os corpos teriam vindo de cidades da Grande BH e na capital mineira.

Comentários

NOTÍCIAS RELACIONADAS

EDITORIAS POPULARES

NOSSAS REDES SOCIAIS

70,252FãsCurtir
28,000SeguidoresSeguir
177SeguidoresSeguir
2,000InscritosInscrever
Comentários