Fundação Renova
Fundação Renova

Grupo “Elas Arrasam” ajuda mulheres a passar pelo tempo da pandemia de bem com a saúde mental

Durante o período de pandemia, a preocupação com a saúde mental tem ganhado cada vez mais relevância no mundo inteiro, e para uma parcela da população essa questão tem mais peso ainda, que se trata dos grupos de risco, já que os mesmos não podem sair de casa e também convivem com um certo medo de contrair a doença. Com o intuito de amenizar essa preocupação, a psicóloga Tânia Ferreira, de Itabirito, idealizou e pôs em prática o grupo “Elas Arrasam”, que busca passar por esse momento de pandemia e isolamento social da maneira mais saudável possível e “juntas”.

O grupo “Elas Arrasam” é formado por 19 mulheres com mais de 50 anos e, para estarem “juntas” durante esse tempo, fizeram um grupo no Whatsapp para realizares as atividades diárias que buscam, principalmente, atingir pensamentos, sentimentos e comportamentos que possam ser mais funcionais perante esse momento de pandemia. Apesar de Tânia ser de Itabirito, o grupo também agrega mulheres de outras cidades da região, como Ouro Preto, Conselheiro Lafaiete e Betim.

“Eu havia trabalhado no Grupo da Melhor Idade daqui de Itabirito antes disso tudo, mas acabei saindo durante um tempo e perante a essa pandemia e isolamento eu me preocupei em como elas estariam, porque lá elas faziam exercícios físicos entre várias atividades, era a válvula de escape delas. Então eu propus à coordenação da instituição para fazer esse trabalho de maneira online para passar este momento de pandemia da maneira mais saudável possível. Então eu acompanho como elas estão, a gente discute temas, eu passo algumas atividades para elas e falamos um pouco da nossa rotina”, diz Tânia Ferreira, idealizadora do grupo.

Dentre as atividades, que também são feitas de maneira online, há a produção de vídeos por parte das participantes do “Elas Arrasam”. A realização da atividade se torna um momento de descontração e desafio, por estarem fazendo coisas novas, já que muitas contam com ajuda dos familiares nessa atividade. Após a edição dos vídeos há uma demonstração de alegria e orgulho do que fizeram, além da sessão de estarem mais próximas.

E, além de tudo isso, há outra coisa interessante que são os lembretes, em que as participantes são lembradas de atividades como exposição ao sol, para conter vitaminas em seus respectivos corpos e, também, trocas de informações, principalmente sobre as cidades em que moram, para verificarem o consumo e compartilhamento de notícias falsas.

“Olha este grupo tem sido ótimo pra mim, tem me ajudado muito, a Tânia faz atividades, temos culinária, piadas, poemas, já fizemos vídeos maravilhosos também. A Tânia tem me ajudado muito mesmo com esse e grupo e aprendo coisas também com minhas colegas o que posso dizer que está sendo espetacular”, diz Edna Maria Serafim Lucindo, sobre o grupo “Elas Arrasam”.

Receitas e artesanato

Dentre as atividades do grupo, elas compartilham um pouco de sua rotina, atividade que já proporcionou a troca de 70 receitas para se fazer na cozinha, incluindo pudins, doces, bolos, tortas e etc.

Além disso, na medida do possível, o grupo incentiva as mulheres a manterem uma rotina saudável e com atividades prazerosas, como o artesanato, trabalho em que já produziram 50 produtos entre crochê, tricô, bordados e pinturas, incluindo objetos recicláveis.

Veja também: “Vidas Negras Importam” é o principal assunto da internet para refletir

Comentários