Fundação Renova
Fundação Renova

Dica de português: gerúndio e gerundismo, qual a diferença?

À primeira vista, parece nome exótico de dupla sertaneja, mas gerúndio e gerundismo fazem parte da língua portuguesa e são coisas distintas, isso é muito importante salientar.

Houve até mesmo um decreto no Distrito Federal demitindo o gerúndio. Isso mesmo, o decreto de número 28.314, de 28 de setembro de 2007, assinado pelo então governador José Roberto Arruda “demitiu” o gerúndio.

“Fica demitido o gerúndio de todos os órgãos do Governo do Distrito Federal. Fica proibido a partir desta data o uso do gerúndio para desculpa de ineficiência”, diz o texto do decreto.

Mas a culpa é do gerúndio ou do seu mau uso? Para Wania de Aragão, doutora em Língua Portuguesa, “O gerúndio é uma categoria verbal e nominal. Este decreto mostra uma profunda ignorância com relação à língua portuguesa”.

Para o professor Pasquale Cipro Neto, especialista em língua portuguesa, “o gerúndio é da língua, é perfeito, não há nenhum problema. Desde que ele faça o papel dele.”

GERÚNDIO x GERUNDISMO

GERÚNDIO: usado por muitos, odiado por vários. O gerúndio é a forma nominal do verbo, invariável (não possui flexão de pessoa, número, tempo e modo), formada pelo sufixo -ndo.

Sendo assim, cantando, rindo, partindo, chorando, são exemplos de verbo no gerúndio.

Há também a forma composta do gerúndio que é formada por um verbo auxiliar (estar, andar, ir, vir). Exemplos: Estou vendo um filme, estou fazendo café.

GERUNDISMO: é o uso do gerúndio em perífrases, tais como “vou estar telefonando”, no lugar de “vou telefonar”. Trata-se de um vício de linguagem e, por isso, deve ser evitado.

O gerundismo surgiu a partir do mau uso ou do uso excessivo do gerúndio. Aliás, há quem diga que o gerundismo “nasceu” no telemarketing. Ao ligar para o call center de uma empresa, em algum momento você deve ter ouvido a terrível frase “Senhora, vou estar encaminhando a sua solicitação…” ou algo semelhante. Essa frase é um erro. O correto seria: “Senhora, vou encaminhar a sua solicitação…”.

Ficou alguma dúvida? Deixe nos comentários ou envie um e-mail para: [email protected]

Comentários