Fundação Renova
Fundação Renova

Coronavírus: UFOP se inscreve e busca credenciamento para realizar exames

A Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) está pleiteando o credenciamento para realizar exames de detecção do novo coronavírus (COVID-19). Diferentemente do que foi apontado anteriormente na imprensa, a instituição ainda não está apta a realizar os testes e sim buscando se credenciar. Caso consiga a autorização, o Laboratório de Imunopatologia, do Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas da UFOP (Nupeb), irá passar a integrar à Redelab Covid-19, organizada pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), que reúne laboratórios das redes pública e privada.

Uma das principais exigências para o credenciamento é que os laboratórios que pleiteiem a realização dos exames é que estes locais tenham um padrão de segurança biológica nível NB2, que é o caso de um dos laboratórios da UFOP. Outra exigência é que o Laboratório de Imunopatologia passe a ser destinado ao atendimento clínico, sendo ele hoje voltado à pesquisa.

Após o atendimento dos pré-requisitos, o laboratório foi submetido a uma vistoria da Vigilância Sanitária de Ouro Preto para a confirmação das condições e liberação do alvará. Com o documento em mãos, a UFOP enviará o material para a Funed, que deliberará, e em caso de decisão positiva, disponibilizará os insumos necessários a realização dos testes.

Atendimento e realização dos exames

Com a eventual liberação, o Laboratório de Imunopatologia da UFOP passará a atender as demandas de Ouro Preto e da região dos Inconfidentes. Além disso, “os pesquisadores envolvidos nessa iniciativa acreditam que seja possível absorver outras demandas”, afirma a professora Cláudia Martins Carneiro, responsável técnica pelo laboratório. É importante ressaltar que o laboratório não realizará coletas, que continuam a cargo do sistema de saúde.

Além da montagem do laboratório, a UFOP já planeja a montagem de um outro espaço para ampliar a capacidade de processamento e análise de amostras, no mesmo prédio do Nupeb. É provável que não exista o envolvimento de estudantes nos processos por causa do nível de segurança exigido.

Veja também: Mariana investiga primeiro óbito suspeito por coronavírus

Comentários