Fundação Renova
Fundação Renova

Confira os principais lançamentos de discos no rap nacional, em março

Atravessando um duro período de quarentena, por conta do Covid-19, o mundo quase todo está parado, porém, a indústria da música segue forte com vários lançamentos. E no rap nacional não está sendo diferente, já que março trouxe diversos grandes lançamentos. Confira os principais:

Djonga: Histórias da Minha Área

– Lançado dia 13/03

– 10 faixas

– Feats: NGC Borges, Cristal, FBC, Don Juan e Bia Nogueira

Desde 2017, o dia 13 de março vem se tornando uma das datas mais aguardadas do ano. É sempre nesse dia que Djonga lança um novo disco. Neste ano, não foi diferente. Histórias da Minha Área chegou com muitas expectativas e apesar de não ter agradado todo mundo, vem fazendo um grande sucesso. Somadas, as 10 faixas do disco já contam com 25 milhões de visualizações no YouTube. Até aqui, a preferida do público vem sendo O Cara de Óculos, que traz a participação de Bia Nogueira e já foi ouvida mais de quatro milhões de vezes na plataforma. Um dos destaques de ‘HdMA’ é a participação de jovens talentos do rap, como NGC Borges e Cristal. Em Gelo, Djonga coloca o carioca Borges ao lado de um dos veteranos do rap mineiro, o FBC, seu companheiro no DV Tribo e amigo de longa data. Esse é o quarto disco da carreira do artista.

Bivolt: Bivolt

– Lançado dia 06/03

– 14 faixas

– Feats: Tasha e Tracie, Jé Santiago, Lucas Boombeat e mais

Artista multitalentosa e com longo tempo de estrada, Bivolt é veterana no rap, porém só em 2020 veio lançar seu trabalho de estreia. Trazendo seu como título, esse álbum traz tudo que a artista tem de melhor para apresentar e mostra as duas correntes de trabalho da artista: o rap e o Soul/R&B. Um dos destaques do disco fica para a experiência interativa proposta pela artistas. As músicas 110v e 220v, quando tocadas ao mesmo tempo formam uma terceira música. Segundo a rapper, isso pode ser considerado um feat com ela mesma. Bivolt traz o lado mais agressivo da cantora, nas músicas mais voltadas para o rap e que trazem sua essência da rua e das batalhas, e seu lado mais doce e suave nas músicas voltadas para o R&B. A direção musical do projeto ficou por conta do Nave Beatz, que assina grande parte dos beats do disco. Nas participações, temos Tropkillaz, Jé Santiago, Lucas Boombeat, Xênia França e outros.

Batz Ninja: Anti-herói

– Lançado dia 13/03

– 8 faixas

– Feats: BK, Luccas Carlos, Ari, Shawlin, Orochi e mais

Membro da ConeCrew, Batoré vem apostando na sua carreira solo desde 2018. Lançando seus trabalhos em parceria com seu amigo, produtor e companheiro de grupo, Papatinho, o rapper tem usado o vulgo Batz Ninja nessa nova fase de sua carreira. Anti-herói chega composto de 8 faixas e produzido inteiramente pelo Papato. Os feats ficam por conta de grandes nomes do rap carioca, como BK, Shaw, Orochi e Ari, que também é seu parceiro de Cone. O álbum traz uma pegada leve e descontraída e assuntos como vivência, drogas, mulheres, a vivência no Rio Janeiro e paternidade. A única faixa inteiramente solo do disco é Má companhia, onde o artista aposta no uso do auto-tune para falar de um relacionamento amoroso.

Eduardo Taddeo: O Necrotério dos Vivos

– Lançado dia 11/03

– 29 faixas

– Feat: Ferréz

Lenda do rap nacional, Eduardo fez história liderando o grupo Facção Central. Atuando em carreira solo desde 2013, o rapper chega agora com o seu segundo disco solo, O Necrotério dos Vivos. Famoso pelas suas letras pesadas e que retratam a realidade das ruas, do crime e até do abandono parental, Taddeo também já lançou dois livros. Esse novo álbum do artista traz 29 faixas e o único feat creditado é o de Ferréz, notório escritor da literatura marginal brasileira. Além do lançamento nas plataformas digitais, o disco duplo também está disponível para a compra em formato físico através do site de Eduardo. Composto apenas por boombaps, o projeto traz toda a pegada que consagrou o artista. Um prato cheio para os fãs de um rap mais clássico e de mensagem.

CHS: Tudo Pode Acontecer

– Lançado dia 27/03

– 12 faixas

– Feats: Juyè, BK, Akira Presidente, Torres e mais

Membro do Bloco Sete e do grupo Néctar Gang, CHS acaba de lançar seu álbum de estreia. Esse é o segundo trabalho do artista, que anteriormente já havia lançado um EP chamado Chaos, que saiu em abril de 2018.  TPA traz um grande time de produtores por trás, entre eles El Lif, Mind e Jxnvs. O disco mostra a versatilidade do artista, sua vivência e prova que realmente tudo por acontecer. A capa do álbum, feita por Diego Finha, é uma releitura da capa do clássico disco Liquid Swords, do rapper GZA, membro do Wu-Tang Clan. À mixagem e masterização do projeto ficam por conta de Arthur Luna, engenheiro de som duas vezes vencedor do Grammy Latino. Já a direção musical ficou por conta do El Lif Beatz. A faixa Me Arrumei, que conta com participação de BK saiu junto com clipe, disponível no canal do YouTube do artista.

Lucas Boombeat: Nem Tudo é Close

– Lançado dia 20/03

– 10 faixas

– Feats: Gloria Groove, Ecologyk, Bivolt, Murillo Zyess e Harlley

Nem Tudo é Close é o primeiro álbum de Lucas Boombeat. Membro do coletivo Quebrada Queer, Lucas é um dos maiores artistas LGBTQI+ do rap nacional. Quase inteiramente produzido por Vibox Beats, o disco traz participações do rap e do pop, além do produtor Ecologyk. Bastante empoderado, esse trabalho fala e protesta sobre questões pertinentes à realidade LGBT, porém não se limita e também fala bastante sobre sentimentos e relações humanas. O álbum é um mix de emoções e traz momentos desde momentos mais sérios à momentos mais leves e até debochados. Segundo a descrição do próprio artista, esse trabalho de estreia fala sobre realidades vividas além do close e da vivência que só pode ser vivida por ele, mas que pode conversar com todos.

Orochi: Celebridade

-Lançado dia 27/03

– 14 faixas

– Feats: BIN, Maquiny, Azevedo, PL Quest, Shenlong e mais

Celebridade é o álbum de estreia de Orochi. Mesmo com pouca idade, Orochi já consagrou seu nome no rap nacional. Cria da famosa Batalha do Tanque, o rapper já foi campeão do Duelo Nacional de MC’s e emplacou grandes hits como Balão e Amor de Fim de Noite, além de ter participado de grandes projetos como Marginais Boombap e Poetas no Topo. Nesse primeiro trabalho, o mc traz um álbum composto majoritariamente por músicas solo e produção de Kizzy, Papatinho, Da77as e Jess. As participações de Celebridade ficam por conta de vários nomes do rap carioca e companheiros de estrada de Orochi, como Maquiny, Avezedo, Shenlong e outros. O álbum é focado no trap e traz 14 faixas. Segundo o artista, todos os rappers presentes nesse disco fazem parte de um novo selo chamado Mainstreet e que em breve estará na pista.

Burn-O: Attosegundo

Confira os principais lançamentos de discos no rap nacional, em março
Crédito da foto: Divulgação

-Lançado dia 06/03

– 7 faixas

– Feats: Menestrel, DaLua, Rodrigo Zin e NexoAnexo

Rapper e produtor, Burn-O chega com seu primeiro projeto, chamado Attosegundo. Considerado pelo um artista como um mini álbum, o trabalho traz sete faixas e quatro participações. Menestrel, DaLua, Rodrigo Zin e NexoAnexo são os artistas que compõem os feats. A produção inteira foi feita pelo próprio Burn-O, que costuma assinar os beats de todas as suas músicas. Além de seu trabalho pessoal, ele também é o responsável por produzir a faixa Tipo GTA, do Mc Caverinha, que conta com mais de 20 milhões de visualizações no YouTube. Focado no trap, o disco é um novo passo da carreira do rapper que vem publicando seus trabalhos desde 2018.

Attlanta: Futuro

Confira os principais lançamentos de discos no rap nacional, em março
Crédito da foto: Divulgação

– Lançado dia 23/03

– 8 faixas

– Feats: DaLua, Delatorvi, Alt Niss, Izumed, Lord Prince e mais

Ganhando cada vez mais espaço no rap, agora as mulheres também querem o seu espaço como produtoras. Attlanta é uma revelação de mineira e chega na cena com Futuro, sua primeira mixtape. Com foco no trap e no R&B, esse trabalho é histórico já que é um dos primeiros projetos nacionais completamente produzidos por uma beatmaker. Mesmo com muitas artistas cantando o gênero, o rap ainda tem poucas minas produzindo e nenhuma ainda recebendo a sua merecida visibilidade. Esse projeto conta com grandes participações, como as de Delatorvi, DaLua e Alt Niss. Composto por nove faixas, Futuro traz um bom time e se destaca também pelo bom equilíbrio entre as vertentes que aborda.

Raillow: Furacão 2020, Pt. 1

Confira os principais lançamentos de discos no rap nacional, em março
Crédito da foto: Divulgação

– Lançado dia 05/03

– 5 faixas

– Feats: Lucas Gali, JayA Luuck, MC Lya, Mr. Dreka e mais

Membro do Primeiramente, Raillow é o segundo integrante do grupo a lançar um projeto solo. No ano passado, em julho, tivemos o primeiro, que foi o disco Visceral do Leal. Furacão 2020 é o primeiro trabalho solo de Raillow e será lançado em duas partes, tendo ao todo 12 faixas. Neste primeiro volume, o rapper traz cinco dessas músicas. Algo que chamou atenção do público foi que todas as faixas desse projeto trazem nomes de mulheres. Em entrevista ao portal RND, o rapper disse que todos os principais furacões carregam nomes de mulheres e que o conceito que ele quis transparecer é que cada mulher do álbum é um furacão e que cada cidade fosse um alguém pelo qual alguma mulher passou. TH e Riff Beats são os responsáveis pela produção dessa primeira parte, que traz várias participações, dentre elas a de Gali, seu companheiro de grupo. Fran, Larissa, Isabel, Juliana e Amanda são os nomes que intitulam as músicas desse trabalho.

Baco Exu do Blues: Não Tem Bacanal na Quarentena

Confira os principais lançamentos de discos no rap nacional, em março
Crédito da foto: Divulgação

– Lançado dia 30/03

– 9 faixas

– Feats: 1LUM3, Dactes, Aisha, Young Piva e mais

Em meio à epidemia de coronavírus, Baco lança seu mais novo projeto. Composto de nove faixas e trazendo a pegada que fez Exu do Blues dividir o público entre amantes e odiadores de seu trabalho, Não Tem Bacanal na Quarentena foi gravado em três dias e surgiu justamente para matar o tédio gerado devido ao isolamento social. De forma despretensiosa, o artista juntou alguns amigos e artistas próximos e entregou esse presente para seus fãs ouvirem durante o período de quarentena. Com referências sexuais, mitológicas, relacionadas ao rap e ao período em que vivemos, o disco chamou atenção também pela homenagem ao ator e participante do BBB, Babu Santana, que está confinado na casa mais vigiada do Brasil e tem conquistado o Brasil. A produção ficou por conta dos beatmakers Nansy Silvz, PG, DKVPZ e JLZ. Após esse lançamento, o artista deverá retornar em Bacanal, seu terceiro álbum de estúdio que vem sendo produzido e está prometido para sair em breve.

Veja também: Em entrevista exclusiva, Ecologyk fala sobre o disco Venturo

Comentários
Carregando...