Fundação Renova
Fundação Renova

Atlético mostra evolução tática, mas empata com América

A volta do futebol para o Atlético foi com cara de empate. O Galo enfrentou o América no “Clássico das Multidões” e acabou só empatando em 1 a 1. Com o resultado, o time alvinegro foi ultrapassado pela Caldense e agora é o quarto colocado do Campeonato Mineiro, dependendo apenas dele mesmo para se classificar, porém sem chance de liderança.

O resultado acabou sendo ruim para o Atlético, que agora tem o rival na sua cola e terá de vencer de qualquer maneira a Patrocinense na próximo quarta-feira (29), às 21h30, na Arena Independência.

Na primeira etapa, o Atlético jogou muito bem, dominando as ações do jogo, tendo a bola na maior prte do primeiro tempo. O esquema tático do treinador Jorge Sampaoli ficou bem claro, desde o goleiro há a proposição de jogo, com os zagueiros atuando também do meio para frente e sempre fazendo a bola girar. Até que saiu o primeiro gol do Galo, em uma jogada que começou com o Savarino e foi passando no meio de campo até a bola chegar no outro lado do campo, com Marquinhos acertando um excelente cruzamento e Nathan abrindo o placar de cabeça.

Entretanto, no segundo tempo, a equipe comandada pelo “Lisca Doido” mostrou muita qualidade e foi o dono das ações em busca do empate. Até que ele veio, com Vitão acertando um belo chute após confusão na defesa do Atlético.

Os destaques do jogo ficaram por conta de Savarino, que mostrou muita habilidade, e Réver pela segurança e passe no primeiro tempo. Além deles, Rafael mostrou uma belíssima atuação, o que aumentou as dúvidas sobre a necessidade de contratar outro goleiro, que Jorge Sampaoli tanto quer.

Apesar do regulamento da volta do futebol autoriuzar até cinco substituições no jogo, o técnico Jorge Sampaoli preferiu fazer apenas duas alterações, com isso o Atlético teve uma nítida queda de rendimento em campo no segundo tempo. Entretanto, o treinador argentino alega que problemas táticos atrapalharam o time na etapa complementar e que não fez mais alterações na equipe porque os substitutos não estavam na forma física ideal. “Eu penso que foram mais questões táticas do que outra coisa. Creio que (a razão da queda) foi posicionamento, as modificações estruturais. Tudo isso impactou para que, meritocraticamente, o rival conseguisse fazer (o empate)”, disse o técnico.

Comentários